Descobrindo o Tarot

maio 28, 2010

Cartas são entidades

Filed under: Diversos, Notas — Tags:, — Leonardo Dias @ 4:08 AM

Começando já com uma citação de Aleister Crowley, esse post de Douglas Gibb, do blog TarotEon.com, abriu meus olhos para uma realidade que eu, sem perceber, já venho sentido há algum tempo – de uma forma muito especial, as imagens das cartas são existências independentes, autônomas – entidades. Realmente, isso é fato, ainda que sequer passe pela cabeça da maioria das pessoas, a maior parte do tempo.

Partindo do começo, a origem conceitual da palavra “entidade” encontra-se no conceito filosófico grego de to on, que poderíamos traduzir livremente por “ser”, “ente”, e que literalmente quer dizer algo como “aquilo que é”. Mergulhando no significado do próprio verbo ser, uma entidade é, essencialmente, algo que possui uma existência distinta. Indivíduos são entidades, números são entidades, estados são entidades – e imagens de Tarot são entidades. Crowley dá mesmo um passo adiante, dizendo que “(…)cada carta é, em certo sentido, um ser vivo (…)”.

Mas o que isso significa? Isso significa que cada carta não se resume simplesmente a um conceito a ser aprendido, memorizado, compreendido, mas a um alguém, com quem você se relaciona e interage. Elas são mais que simples objetos de estudo. Você não pode simplesmente estudar as cartas como quem estuda plantas ou materiais sintéticos ou genética; as imagens têm sua autonomia, e quando você olha pra elas, elas também olham pra você. Eu poderia mesmo dizer que as cartas do Tarot são conceitos vivos – elas têm uma espécie de vida particular. Vê-las assim as faz deixarem de serem simplesmente ideias, itens x participantes de um grupo sistêmico, para transformarem-se em algo tridimensional e multifacetado. E eu não estou falando aqui simplesmente dos personagens de cada carta, mas da imagem em si, como um todo, enquanto entidade conceitual; daí eu dizer que as cartas são “conceitos vivos”.

Imagine que cada uma das 78 cartas do Tarot é uma pessoa, como seu amigo de trabalho, sua irmã ou seu namorado – personalidades que existem no mundo. Da mesma forma que as pessoas da nossa vida, as cartas então não são coisas chapadas que podem ser inteiramente vistas e apreendidas numa única olhada. Como uma pessoa – tão complexa – os elementos de Tarot são personalidades, agregados independentes de uma miríade de fatores que, interagindo, fazem acender a centelha da existência. Mais que serem simplesmente entendidas, as cartas requerem que você trave com elas uma relação, que se aprofunda à proporção do tempo e da intensidade da interação.

Então, é essa a ideia – abordar cada imagem do Tarot como alguém a ser descoberto, alguém com quem é possível trocar. Eu sei que é uma questão profunda e complicada, e pretendo falar mais sobre isso à medida que a ideia amadurecer mais. Por enquanto, só quero deixar a ideia – as imagens simbólicas do Tarot, sendo símbolos, são mais que simples objetos de estudo estáticos.

Mais sobre isso aqui.


Referências

TarotEon.com

Wikipedia – Entity

Being

To Be

Copula (linguistics)

Online Etymology Dictionary –     entity

Anúncios

4 Comentários »

  1. […] Cartas são entidades […]

    Pingback por Índice de Posts « Descobrindo o Tarot — junho 9, 2010 @ 4:27 PM

  2. […] Dias @ 4:34 AM Há algumas semanas eu falei aqui no blog, brevemente, sobre a noção de que as cartas são entidades. Talvez outra forma de colocar isso seria dizer que as cartas são forças – forças […]

    Pingback por CARTAS SÃO FORÇAS « Descobrindo o Tarot — junho 27, 2010 @ 4:34 AM

  3. […] frente. É falar com ela de igual pra igual. Isso que você disse vai muito de encontro com a minha ideia das cartas como entidades; mais que isso, a completa de uma maneira muito […]

    Pingback por LER CARTAS É UMA ARTE II – papo com Sandra Andrade « Descobrindo o Tarot — outubro 19, 2010 @ 10:20 PM

  4. […] da realidade, mas de influência ativa sobre a mesma. Crowley levou a sério a ideia de que as ‘cartas são alguéns’. Eu já disse isso aqui – no Thoth, Tarot e Alta Magia alcançam um patamar de união. Nesse […]

    Pingback por Desdobramentos de significados para o Pajem de Espadas + impopularidade do Crowley-Harris-Thot « Descobrindo o Tarot — novembro 25, 2010 @ 2:41 AM


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: