Descobrindo o Tarot

junho 27, 2010

CARTAS SÃO FORÇAS

Filed under: Diversos, Notas — Tags:, , , — Leonardo Dias @ 4:34 AM

Há algumas semanas eu falei aqui no blog, brevemente, sobre a noção de que as cartas são entidades. Talvez outra forma de colocar isso seria dizer que as cartas são forças – forças inteligentes. Faz alguns dias, li uma coisa que fez muito sentido pra mim –

(…) embora no nosso plano de existência os símbolos sejam abstrações, em outros planos eles são coisas reais (…), trata-se basicamente de alguma coisa ‘carregada com a força que ela supostamente deva representar'”(Robert Wang, O Tarô Cabalístico, pgs. 61,63).

Isso faz um tremendo sentido quando a gente encara as cartas como mais do que simples desenhos. Além da carta está a imagem, e a imagem representa um conceito que abarca e ultrapassa o nosso pensamento. Esotericamente, a nossa realidade física é só um aspecto de uma Realidade mais ampla, que inclui os planos etérico, astral, mental, e os planos superiores. Segundo esse princípio, nossos pensamentos, no plano mental de onde se originam, são coisas reais, tangíveis e concretas. Os símbolos são imagens que surgem no nosso psiquismo, e como tal pertencem também aos planos astral e mental. É comumente aceito que símbolos são criações humanas. Porém, é possível da mesma maneira conjeturar que símbolos são entidades independentes que, de certa forma, entram em contato com a mente humana.

Num nível mais profundo do que o imediato, cotidiano, cada imagem do Tarot é a representação física de uma força real. Mais uma vez citando Wang, “(…) quando os Trunfos aparecem numa predição, eles são vistos a partir de fora e atuam como forças objetivas que afetam a questão.” (pg. 54, itálico meu). No caso, Wang refere-se especificamente aos Arcanos Maiores (Trunfos), porém é claro que é possível estender o mesmo principio às cartas pequenas, já que toda carta representa uma força. E essa noção não é nova – McGregor Mathers já dizia isso há como que cento e cinquenta anos atrás.


Mas o que isso tem a ver com a leitura de cartas em si?

A prática oracular do Tarot pode ser profundamente influenciada por essa noção à medida em que percebemos que, se cada imagem do Tarot é uma força real, uma leitura funciona como um mapa dinâmico das forças atuantes sobre uma questão, em um dado momento. Tal conceito justifica outra ideia que eu já mencionei aqui no blog – a de que uma mesma carta pode representar um sem número de coisas numa leitura. Quando vemos as cartas como forças ativas, então uma mesma força pode manifestar-se de diversas maneiras diferentes ao mesmo tempo. Tal ideia pode ser comparada à maneira que a Astrologia vê as influências e atuações dos astros – Vênus pode provocar amor e romance, mas também gozo, festas, divertimento e arte, por exemplo.

Em termos práticos, isso quer dizer que as cartas ganham vida. Elas deixam de ser expedientes mnemônicos para esse ou aquele conceito, e passam a ser o próprio conceito, ali presente, ativo e interagindo com seus companheiros.

O uso oracular do Tarot é só uma das facetas desse sistema simbólico tão significativo. O Tarot em si vai bem mais além disso. E a coisa é séria.

Anúncios

3 Comentários »

  1. […] Cartas são Forças […]

    Pingback por Índice de Posts « Descobrindo o Tarot — agosto 22, 2010 @ 3:35 AM

  2. […] Quando a gente joga com a estrutura pronta das leituras posicionais, é mais fácil flexionar os significados, fazer abstrações encima deles, porque você tem a estrutura das posições na espinha dorsal do processo, e você não se perde. Você tem um ponto de referência concreto à disposição. Assim, um Dois de Ouros pode ser mais que simplesmente transações financeiras e comércio – pode falar de flexibilidade e versatilidade, por exemplo. Isso fica mais difícil quando você não tem nada mais que as cartas para ler. Sem posições, e mesmo sem temas. Assim, de certa forma, eu to meio que descobrindo o valor de ver o naipe de Ouros só falando de dinheiro, e o de Copas só de relacionamentos. No Pictorial Key to the Tarot, Waite segue mais essa linha de pensamento, dando a cada carta significados bem concretos e simples, geralmente muito bem retratados e sumarizados em sua respectiva imagem. Mas, claro, nada deve ser gravado em pedra também. Se a gente pensar nas cartas como forças, a gente percebe que elas podem se manifestar de várias formas diferentes. Uma leitura, e especialmente uma leitura sem posições, se torna meio que um mapa das forças atuantes naquele momento. Já falei isso por aqui… […]

    Pingback por NOTAS / UPDATES « Descobrindo o Tarot — setembro 30, 2010 @ 7:54 AM

  3. […] Mais sobre isso aqui. […]

    Pingback por Cartas são entidades « Descobrindo o Tarot — novembro 25, 2010 @ 2:29 AM


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: