Descobrindo o Tarot

julho 28, 2011

PERGUNTAS & RESPOSTAS – DEVEMOS DIZER TUDO AO CONSULENTE?

Filed under: Diversos, Videos — Tags:, — Leonardo Dias @ 7:04 AM

Através do chat do blog, o leitor Tiago usou uma história trágica para engatilhar uma velha questão. Tiago menciona o caso supostamente verídico de uma cartomante que foi morta pelo marido de uma de suas consulentes, depois que essa lhe acusou de traí-la, conforme a cartomante havia lhe revelado. A história levanta a questão se devemos dizer tudo o que vemos nas cartas, ou se deve haver algum tipo de filtragem de informação, tendo em vista evitar traumas ou problemas.

Sim, acredito firmemente que devemos dizer tudo. Minha política pessoal é a de manter-me fiel ao que eu vejo na leitura. Enquanto leitor de cartas, eu acredito que a minha função seja a de revelar ao consulente tudo o que o oráculo me revela. Julgar-se apto a discriminar qual informação deve ser repassada me soa algo pretensioso, pois eu acredito que existe um motivo superior para essa ou aquela informação surgirem na consulta. Respeitar isso é uma questão de respeito ao oráculo, antes de tudo. No momento da leitura, o leitor incorpora o Tarot; seu papel é dar corpo e boca ao oráculo. É sua função, portanto, dar forma adequada à mensagem. Ainda que o leitor não deva ser responsabilizado pelos fatos descritos na leitura, ou pela frustração do consulente que descobre que as coisas não serão como ele deseja, creio ser sua responsabilidade passar a informação de maneira adequada, bem como orientar o consulente sobre como lidar com tal informação. E nada melhor que o próprio oráculo para revelar isso, de modo a aumentar o potencial criativo e produtivo da leitura.

Acho que esse tipo de proatividade e consciência clara é uma das coisas que diferenciam os bons leitores daqueles que correm o risco grande de levar bala do próximo marido indignado, rs.


Anúncios

4 Comentários »

  1. Que coisa hein!!! Poxa!!! Bom, acho que como leitores de cartas, os tarólogos são, antes de mais nada, portadores do dom da palavra. Claro! Se não seria complicado se comunicarem bem e transmitir a mensagem das cartas. Creio que os BONS tarólogos sejam as melhores pessoas para se conversar, assim eu imagino… Acho que coisas “ruins” ou “boas” podem ser ditas de n formas…basta que escolhamos bem as palavras.

    Comentário por Flávio — julho 28, 2011 @ 9:19 AM

    • Total concordo. É como eu disse, saber dar a forma adequada às ideias. O que não quer dizer o mesmo que ser falso, ou trucoso.

      Brigado pela participação, Flávio!

      abç

      Comentário por Leonardo Dias — julho 28, 2011 @ 11:38 PM

  2. Oi Leo. Eu acredito que dizer tudo o que vejo me exime. Me liberta. Afinal de contas, não quero me responsabilizar por aquela informação que omiti e, no fim das contas, fez toda a falta para a pessoa “fechar” o processo de informação que iniciou na consulta.
    A Verdade liberta, e esse é o nosso trabalho.
    A forma como ela é dita deve ser doce, mas jamais omissa.
    Forte abraço.

    Comentário por Emanuel J Santos — julho 28, 2011 @ 9:55 AM

    • Isso que você disse é muito pertinente, e vai de encontro com o que eu disse sobre ser pretensão julgar-se apto a classificar a informação como válida ou não. A gente não sabe, porque nossa visão também é parcial – é justamente para ter uma visão imparcial que usamos o oráculo.

      E, sim, a verdade liberta.

      Brigado pela participação, Emanuel, e abraço!

      Comentário por Leonardo Dias — julho 28, 2011 @ 11:40 PM


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: