Descobrindo o Tarot

setembro 20, 2010

S..E..X

Filed under: Notas — Tags:, , , , , , — Leonardo Dias @ 3:59 AM

setembro 4, 2009

Exercício SPR – Ás de Copas

Filed under: Exercício SPR — Tags:, , , , — Leonardo Dias @ 3:05 AM

Cups01A carta de hoje para o exercício é o Ás de Copas. Agora só falta o Ás de Paus para completar os quatro naipes no exercício. O naipe de Copas, associado ao elemento Água, geralmente trata e fala de emoções e sentimentos. Também pode falar de sonhos, fantasias e intuições.

a mesa do magoOs Ases são cartas com uma proeminência especial no Tarot. Eles representam as forças elementais e, se pensarmos nos Quatro Elementos como arquétipos, logo tais cartas são quase tão significativas quanto os Arcanos Maiores, de certa forma. Sendo as cartas de número Um de cada naipe, cada ás está automaticamente associado à carta de número 1 no Tarot, o Mago. Creio que seja possível que essa associação entre o Mago e os ases tenha sido estabelecida há muito tempo, se não desde sempre, visto que na própria mesa do mago podemos ver os objetos representantes dos quatro naipes – uma taça (Copas), uma espada ou athame (Espadas), um pau (Paus) e um pentáculo (Ouros). O Mago manipula os quatro elementos – manipula a matéria, portanto. Eu estou atualmente fazendo uma pesquisa sobre a teoria dos Quatro Elementos e o Tarot, e logo teremos aqui no blog material novo sobre isso.

Os ases sempre indicam possibilidades – podemos pensar neles como os ingredientes para fazer uma receita: você pode ter todos os ingredientes com você, mas o prato só vai ficar pronto com o seu trabalho. Todos os ases pedem algum trabalho. Eles são o impulso, a força, e como tal devem ser explorados e aproveitados. O caminho de desenvolvimento de cada ás é a própria sequência de cada naipe.

Os significados divinatórios do Ás de Copas incluem sentimentos fortes, muitas vezes súbitos, emergindo; amor em geral, afeição e bem-querer; instinto e sentimento profundo sobre algo; um insight; o aparecimento de sentimentos por algo ou alguém e; inspiração. O poder no Ás de Copas é basicamente a força que atrai as coisas e que as faz buscarem a união; ele é a força de atração que une os opostos.

Casa I – A Situação

Aqui podemos ver o surgimento de sentimentos intensos por alguém ou alguma coisa específica. O consulente pode estar inspirado sobre algo, pode ter escutado algo dentro de si que chama sua atenção de forma especial. Também pode, é claro, indicar o começo de um amor por alguém. Aqui, o coração da pessoa pode estar levando-a para caminhos que a afastam da resolução de sua questão.

Casa II – O Problema/desafio

Uma das possibilidades de interpretação da influência negativa do Ás de Copas tem a ver com a força emocional exibida na carta. Nesta posição, ela pode estar indicando emoções súbitas ou intensas demais, muitas vezes pouco compreendidas, que induzem o consulente a fazer coisas das quais se arrependerá mais tarde, ou impedem-no de ver as coisas como realmente são.

Casa III – Os Recursos/vantagens

Os atributos dessa carta que podem ser úteis ao consulente para resolver suas questões têm a ver com a força emocional desse ás. Posicionado assim, ele pode indicar um insight ou intuição que o consulente teve e deve seguir; pode mostrar mesmo que a pessoa em questão deve seguir o que manda seu coração, mesmo que isso pareça errado; pode mostrar, além disso, que o consulente pode usar ao seu favor o poder unificador dessa carta – associações e ajudas.


Leitura hipotética – uma moça está pensando em ir estudar no exterior. Pede ao Tarot que lhe mostre sobre esse seu plano. O resultado:

Post spr ás de copas, I

Aqui vemos que essa ideia surgiu de repente, e fez o coração da consulente bater mais rápido, rs. O Ás de Copas, juntamente com o valete do mesmo naipe, indica que ela aqui está movida por suas emoções e sonhos a respeito dessa viagem. O valete na posição dos problemas indica seu despreparo em relação a isso. A consulente pode estar fantasiando demais as coisas, sendo inocente, quando na verdade pode nunca ter sequer morado sozinha, ou ficado longe dos seus pais. Observe como o valete segura o Ás, e olha para ele como que maravilhado – a consulente está movida por seus sentimentos, não percebe as coisas mais práticas sobre esse assunto. O Cavaleiro de Paus, contudo, mostra sim que ela tem muita capacidade de fazer isso, e que sua energia abundante pode ser usada para isso – ela pode ir atrás do que quer. Contudo, a força do cavaleiro é enfraquecida pelas duas cartas de Copas, o que me sugere que a consulente corre grande risco de ficar só fantasiando sobre isso e não fazer nada de fato. Eu diria que ela pode conseguir, mas vai ter que se mexer para isso acontecer – seus sonhos apenas não bastam.


No segundo exemplo, um rapaz perguntando se é o momento certo para oficializar o relacionamento de cinco anos que tem com sua namorada:

Post spr ás de copas, II

Dois ases e o Louco – isso realmente sugere um novo começo na vida do rapaz. E podemos ver que esse novo começo está sendo pensado e sentido, antes de ser vivido. Ele realmente pensou sobre esse assunto e decidiu que é o que deve ser feito, é o que é justo a ser feito. O Ás de Espadas mostra uma decisão que ele se sente obrigado ou obriga-se a tomar – essa carta também pode mostrar que ele foi meio que colocado contra a parede – mas eu veria mais o lado da ideia surgindo na cabeça dele. o Ás de Copas na posição e problemas me sugere mesmo o começo de sentimentos por outra pessoa, que talvez estejam compelindo o consulente a fugir da situação obrigando-se a casar. Aqui, também podemos ver que, mesmo que mentalmente decidido, seu lado emocional ainda não está resolvido a esse respeito. O consulente tem o impulso e está pronto a se lançar nessa nova etapa, contudo – o Louco, na posição de recursos. Ele e sua futura esposa provavelmente vão se decidir sobre o casamento bem rápido, e em meses poderão estar casados. Nas Elemental dignities da consulta, temos duas cartas de ar e uma de água. Enquanto não enfraquecem o Ás de Copas, o Ás de Espada e o Louco reforçam um ao outro – o Louco é, assim, a carta mais potente da leitura, por ser um Arcano Maior bem-aspectado. Isso mostra que o cliente provavelmente vai se lançar nessa nova situação, e que ela representa mesmo um novo momento em sua vida.

setembro 3, 2009

Exercício SPR – Ás de Espadas

Filed under: Exercício SPR — Tags:, , — Leonardo Dias @ 1:03 AM

Swords01A carta do exercício de hoje é o Ás de Espádas, segundo ás a aparecer na ordem do exercício. O Ás de Espadas é a raiz do naipe de Espadas, representante do elemento ar no Tarot. Ele é o poder do pensamento em sua raiz, a sua força cortante e objetiva, que define a realidade ao seu redor num só golpe.

Seus significados divinatórios incluem capacidade e poder mentais, uma nova ideia surgindo na mente do nada, compreensão, percepção súbita da realidade e razão. Esse ás é um flash que separa a verdade da ilusão.

Casa I – A Situação

Momento de percepção súbita da verdade. Como a espada, essa verdade tem dois gumes, ou seja, pode também ferir, machucar e magoar, pois separa as pessoas de suas tão bem acalentadas mentiras e falsidades. É importante, portanto, observarmos o caráter dual dessa carta. Ela mostra a verdade por si – seja ela boa ou má, a verdade, independentemente.

Casa II – O Problema/situação

Nesta posição, o Ás de Espadas pode falar de objetividade demasiada. Nossa capacidade de raciocínio nos habilita a classificar as coisas; porém, desprovida do auxílio da intuição, a emoção e a sensibilidade, ela permanece incapaz de contextualizar o que classifica. Aqui vemos que seu poder intelectual afasta do mundo, ao invés de unir a ele. Temos portanto a imagem da pessoa que, por ser objetiva demais, exagerada demais, acaba por afastar-se da verdade que busca, e das pessoas.

Casa III – Os Recursos/vantagens

Uma nova informação-chave para a resolução do problema, capacidade de intelecto exercendo um papel proeminente na questão. Novas ideias e compreensão maior.

agosto 30, 2009

Exercício SPR – Às de Ouros

Filed under: Exercício SPR — Tags:, , , , — Leonardo Dias @ 11:33 PM

Seguindo a tendência de precursores, ontem a gente teve a Rainha de Ouros, hoje a gente vai falar sobre o Ás de Ouros, o primeiro ás a aparecer nesse exercício – realmente um bom sinal!

Os ases no Tarot representam a energia dos naipes em sua força total, bruta. O Ás de Ouros, portanto, personifica a força do naipe de Ouros, associado ao elemento Terra. Geralmente esse naipe aparece em leituras indicando assuntos materiais, vida prática, dinheiro, trabalho e estudo (no sentido de fazer), e aspectos materiais e palpáveis. Ao Ás de Ouros indica as bases materiais para o início de alguma coisa. Nela vemos um jardim florido e fértil, do ponto de vista de quem está dentro dele e olha para seu portão de saída, como se estivesse prestes a deixá-lo para ir a algum lugar. Um caminho leva até o portão e, através desse, para frente. Ao fundo, podemos ver no horizonte dois cumes de uma montanha. Podemos ver isso como uma metáfora que simboliza as bases sólidas que precisamos para ir em busca dos nossos objetivos, e do nosso sucesso (as montanhas). No três de paus, podemos ver o personagem já no cume dessa montanha.

Casa 1 – A Situação

  • Resultados práticos começando a aparecer, ou já existentes;
  • O dinheiro ou os recursos básicos para conseguir algo desejado já existem, e estão presentes;
  • Como situação, podemos ver o começo de um trabalho ou estudo que tem tudo para dar certo, pois o consulente dispõe das ferramentas necessárias;
  • Às vezes, esses recursos existem como “presentes” – dons, talentos, ou mesmo um presente de alguém. Por exemplo, você quer começar a estudar Tarot e ganha de um amigo seu primeiro baralho, ou seu primeiro livro.

Casa 2 – O Problema/desafio

Os ases, apesar de serem cartas fortes, transbordando de energia, não indicam mais do que potencial. Não existe ainda nenhuma realização nos ases, eles são só as fontes de onde podemos extrair a realização. Na posição dois da disposição SPR, essa carta pode mostrar uma dificuldade de acessar essa fonte – o consulente tem as bases, mas não consegue ou não sabe como usá-las. Esse ás em especial não mostra mais do que os recursos. Pertencente ao elemento terra, ele indica geralmente coisas tangíveis – ele ainda precisa de vontade (fogo), emoção (água) ou ideias (ar) para ser usado. Nesta posição, essa carta também poderia indicar a ausência desses outros três elementos.

Casa 3 – Os Recursos/vantagens

É nessa posição que o Ás de Ouros fica mais confortável. Apesar de ser uma carta neutra, a gente costuma dar a ele conotações positivas. Aqui, ele indica que o consulente dispõe de exatamente tudo o que ele precisa para seguir em busca do que deseja. Mostra recursos tangíveis abundantes, especialmente materiais.


Recentemente, essa carta apareceu para mim em uma consulta que fiz sobre meus estudos do Tarot. Eu tinha acabado de fazer uma leitura para uma moça, e estava me sentindo meio decepcionado com o meu desempenho, apesar de a consulente ter gostado. Fiz uma consulta sobre isso, usando a disposição de Situação, Problemas e Recursos, e o resultado foi o seguinte –

Consulta dia 30ago2009, sobre estudos de Tarot, copia II

O Ás indica um momento em que eu coloco em prática as coisas que eu estudei. Ele mostra um encontro com o mundo real, a manifestação dos meus estudos de forma objetiva – minhas ideias tornando-se algo tangível, real. A carta, neutra, mostra que isso foi o que basicamente aconteceu. No entanto, a Rainha de Ouros na posição dois diz que meu progresso é atrapalhado pela falta de flexibilidade e por meu apego ao que é estabelecido e familiar. A Rainha aqui aparece como um aspecto da minha personalidade, e mostra uma dificuldade em arriscar-se. Ela segura o Ás próximo ao seu útero, sugerindo fertilidade e gestação. Nesta posição, esse símbolo se tinge de matizes meio aprisionadores e lentos demais. A rainha de ouros é demais presa às suas certezas para abandoná-las, mesmo diante de situações que exigem tal atitude. As duas cartas juntas fazem um excesso do elemento terra na consulta, o que deixa as coisas ainda mais lentas, quadradas e pouco mutáveis. Por fim, a Torre vem pra por tudo isso abaixo, sacudindo as estruturas fixas das minhas teorias, em nome da realidade prática. Tal carta mostra que eu posso usar ao meu favor as descobertas inesperadas que eu fiz sobre eu mesmo e minha forma de interpretar. Eu vejo a torre da carta como o corpo de concepções que eu construí. Essa carta me lembra de que as concepções são, no final das contas, uma representação da realidade, e que tomar uma coisa pela outra é perder-se no engano.

A atividade, representada pela Torre (fogo) fica sufocada por tanta pressão. A Torre aqui perde um pouco de sua força. A rainha fica mais forte, o que chama mais a atenção para sua inflexibilidade.

%d blogueiros gostam disto: